Relacionamento Institucional

O grupo tem como meta o estudo e a constituição de soluções financeiras para o mercado cripto, entre elas estão soluções open banking, constituíção de Instituição de Pagamento própria, bem como a distribuição de pagamento com acesso ao SPB (BC) com acesso direto.
 
Dentro das regras, o BC deixa claro que a guarda do dinheiro não é de posse da instituição, de modo que deve-se ter um banco parceiro para liquidação, caso não tenha acesso direto ao SPB.
 
Assim, a ideia é pensar em soluções financeiras que possam ajuda a criptoeconomia como um todo. Uma instituição de pagamento com a chancela do Banco Central, atuando nas Modalidades Pré e Pós Pago: Pode-se agregar operação com cartão, ou, se o cliente tiver uma conta digital, pode-se realizar operações cripto, utilizando uma plataforma como meio de pagamento é uma das ideias inicias do grupo.

Além disso, com intuito de ensaiar junto ao governo a implantação do blockchain em suas esferas, o grupo surge com a abordagem inovadora e fundamentalmente liberalizante do armazenamento de dados, as tecnologias de contabilidade distributiva (DLTs), bem como o blockchain - e outras tecnologias associadas.

 

Tais tecnologias certamente oferecem imensos benefícios para os setores público e privado, não apenas em termos de aumento da eficiência. Assim, os governos devem observar que oferecem uma oportunidade importante para capacitar os indivíduos em seus engajamentos necessários com o estado e para reconstruir a confiança da sociedade para o bem comum.